quarta-feira, julho 16, 2014

A INCRÍVEL CANÇÃO ENCONTRADA NOS ANÉIS DE UMA ÁRVORE

O responsável pela façanha é o austríaco Bartholomäus Traubeck, que inventou uma espécie de toca-discos que decifra a melodia dos anéis dos troncos de árvores através de algorítimos.

O resultado é belíssimo....



YEARS from Bartholomäus Traubeck on Vimeo.

O álbum completo pode ser encontrado na página BandCamp

A ideia não é nova, alguém já gravou o "canto dos grilos"...

sexta-feira, julho 04, 2014

TIME-LAPSE

Belíssimas imagens...
Fotografia Time-lapse é um processo cinematográfico em que a freqüência de cada fotograma ou quadro (frame) por segundo de filme é muito menor do que aquela em que o filme será reproduzido. Quando visto a uma velocidade normal, o tempo parece correr mais depressa e assim parece saltar (lapsing). A fotografia Time-lapse pode ser considerada a técnica oposta à fotografia de alta-velocidade.
Alterações que normalmente surgem como sutis aos nossos olhos, como o movimento do Sol e das estrelas no céu, tornam-se evidentes. OTime-lapse é a versão extrema de uma técnica cinematográfica de manipulação lenta e pode ser por vezes confundida com animação de paragem de movimento (stop motion). Fonte: Wikipédia

Shaped by Time from Enrique Pacheco on Vimeo.

Arctic Ocean peregrination (time lapse) from Timelapser on Vimeo.
NOVALAPSE - Night Skies from NOVALAPSE Timelapse Recordings on Vimeo.
Jokulsarlon Aurora from Timelapses.es on Vimeo.
A Timelapse Journey with Nature: 2009-2011 from Henry Jun Wah Lee / Evosia on Vimeo.

Autumn in Yosemite National Park from Henry Jun Wah Lee / Evosia on Vimeo.



Legend from Henry Jun Wah Lee / Evosia on Vimeo.

O vídeo abaixo é feito com uma técnica chamada Tild-shift, que faz as pessoas e coisas parecerem miniaturas...

Bathtub IV from Keith Loutit on Vimeo.

Como Fazer um Time-lapse no Youtube:

terça-feira, junho 24, 2014

AMENENHAT III – 12ª Dinastia

Amenenhat III, também conhecido como Amenemés III em português
Cartuchos reais de Amenenhat III
n mAat ra  (nimaatra)  "Aquele que pertence à verdade [deusa Maat] de Rá" 

imn m HAt  (imenemhat)  "Amon está no início"



Seu reinado (1860-1814 a.C.) de mais de quatro décadas é considerado como a era de ouro do Império Médio, tendo elevado o Egito ao mais alto grau de prosperidade.

Entre obras e melhorias no país, ordenou a construção de duas pirâmides, a primeira em Dahshur que parece ter sido abandonada pr problemas de construção, e a segunda em Hawara, perto de Faiyum (El Fayoum).

 A pirâmide negra de Amenenhat III de Dahshur
A pirâmide de Hawara

A pirâmide de Dahshur possuía um belo pyramidion (capeamento no cume da estrutura, em geral feito de granito ou diorito) que se encontra no Museu Egípcio do Cairo. Já a pirâmide de Hawara possuía um complexo sistema de proteção jamais visto no Egito até então, o que não impediu os ladrões da antiguidade de saquearem o tesouro real da tumba.

pyramidion

Além destas construções erigiu um magnífico templo em Narmouthis (Medinet Madi) dedicado ao deus Sobek e à deusa Renenutet, hoje em ruínas.

 ruínas do templo em Narmouthis

estátua de Sobek encontrada no complexo funerário de Amenenhat III
deusa Renenutet
Sua esfinge é considerada uma das mais belas e evoca todo o poder do faraó, representado como leão.






Amenenhat III na arte de Judith Page
---
Fontes:

sexta-feira, junho 20, 2014

Faraó Auibra Hor, ou apenas Hor (1732 a.C.)

Reinou por pouco  tempo, mas a estátua de seu KA é formidável
Os olhos da estátua foram feitos com cristais de quartzo moído, tecnologia que só foi redescoberta durante o Renascimento, quando se fizeram os primeiros telescópios.






Veja também: 

quinta-feira, junho 19, 2014

Seti I

Cartuchos reais de Seti I


Variação em Seth Gliphs:


Relevo de Seti I:
 Pintura:
 Estátua de granito negro de Seti I:
Tumba do faraó:


Escavação da Tumba de Seti I em Terrae Antiquae

Setii na arte de Winifred Brunton

quinta-feira, maio 29, 2014

ANOITECER - Carlos Drummond de Andrade


ANOITECER
A Dolores
É a hora em que o sino toca,
mas aqui não há sinos;
há somente buzinas,
sirenes roucas, apitos
aflitos, pungentes, trágicos,
uivando escuro segredo;
desta hora tenho medo.

É a hora em que o pássaro volta,
mas de há muito não há pássaros;
só multidões compactas
escorrendo exaustas
como espesso óleo
que impregna o lajedo;
desta hora tenho medo.

É a hora do descanso,
mas o descanso vem tarde,
o corpo não pede sono,
depois de tanto rodar;
pede paz — morte — mergulho
no poço mais ermo e quedo;
desta hora tenho medo.

Hora de delicadeza,
gasalho, sombra, silêncio.
Haverá disso no mundo?
É antes a hora dos corvos,
bicando em mim, meu passado,
meu futuro, meu degredo;
desta hora, sim, tenho medo.

© CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
In A Rosa do Povo, 1945

terça-feira, maio 07, 2013

A MORTE NÃO É O FIM

pintura do Defensor


Morri como mineral e tornei-me planta.
Morri como planta e renasci animal.
Morri como animal e tornei-me Homem.
Por que devo temer? Quando fui eu diminuído por morrer?
Ainda outra vez morrerei, como Homem, para me elevar
com os anjos abençoados; mas até da angelitude
terei de sair. Tudo, excepto Deus, perece.
Quando tiver sacrificado a minha alma angélica,
Tornar-me-ei aquilo que nenhuma mente jamais concebeu.
Oh, deixem-me não existir! Porque a Não-Existência
proclama, em sons melodiosos,
que a Ele regressaremos.

RUMI