quinta-feira, dezembro 14, 2006

Lembranças de "Seu" Juvenal
O homem começa a envelhecer quando as lamentações começam a tomar o lugar dos sonhos - John Barrymore
Image Hosted by ImageShack.us
O dia estava quente, apesar de já ser final de tarde. Eu estava voltando de ônibus pra casa, depois de um exaustivo dia de trabalho. Em uma das paradas do coletivo, sobe um velhinho e, com a face impregnada de satisfação, mostra ao motorista seu RG, que imediatamente libera do aceso da catraca ao idoso.

Eu estava sentado no banco da parte do fundo e, imediatamente reconheci o ancião que se sentou à minha frente: era o "seu" Juvenal. Lá estava ele: cabelos brancos, bigode à la Barão do Rio Branco, chapéu, calça social, camisa branca impecavelmente passada, suspensórios e sapato bico fino milimetricamente engraxado. Uma figura distinta.

Fiquei espantado pois já haviam se passado mais de 15 anos da última vez que o tinha encontrado, mas durante esse período ele pouco mudou Logo fiz as contas e percebi que o seu Juvenal estava com mais de 85 anos, mas ainda conservava aquela alegria que o tornou tão peculiar na rua na qual morei quando criança. Sempre a cantarolar alguma música de sua época, o velhinho transbordava alegria. Uma gana, uma vontade imensa de abraçar a vida, e retirar dela o que ela de melhor pode oferecer. Um desejo enorme de viver, ensinar e aprender.

Relojoeiro era sua profissão. Teve uma lojinha há muitos anos no Centro. Dizem que era um dos melhores daquele tempo. Namorou e se casou com apenas uma mulher na vida, a Dona Iracema, que não cheguei a conhecer pois já havia falecido há mais de 10 anos quando o conheci. Mesmo após a morte da esposa, continuou fiel, e segundo ele mesmo, jamais teve outra mulher. Criou três filhos e uma filha, a caçula, que tinha sindrome de down. Um de seus filhos, policial, morreu num tiroteio. Outro, morreu de cirrose hepática em virtude de ter se tornado alcoólatra depois que surpeendeu a esposa com o amante. O mais velho faleceu de câncer aos 56 anos de idade.

Seu Juvenal passou por tudo isso. Sofreu, chorou, teve vontade de abandonar tudo, aposto. Mas nunca se entregou. Preferiu viver uma vida feliz em seus pequenos momentos. Quando eu era menino adorava ouvir as estórias do velho Juvenal, contos de, nas palavras dele mesmo, “quando a vida era mais simples”...

Encontrei com o Seu Juvenal ontem. Hoje quando abri o jornal, vi no obituário a foto de seu Juvenal. Lembrei-me desta última vez que o vi, no ônibus, quando chamou a atenção da gente toda que lá estava, ao subir cantarolando: “eu pensei que todo mundo fosse filho de papai Noel...”

Apesar de ter falado várias e várias vezes com ele quando era criança, pensei que ele não havia me reconhecido, até que ele apertou a campainha para descer do ônibus, marotamente se balançando quando o coletivo fez uma curva, fitou-me nos olhos e piscou pra mim, com o sorriso escancarado...

A vida foi cruel com o Seu Juvenal, mas ele nunca desanimou, nunca se abateu, nunca se entregou a lamúrias, nunca questionou a obra divina, apesar de tudo o que sofreu. Seu lema era viver com alegria. Amar a vida, mesmo com todas as suas armadilhas.
Neste exato momento, enquanto escrevo lembro-me de seu sorriso, e o brindo com um vinho tinto.

Descanse em paz, mestre, contigo aprendi uma grande lição e jamais a esquecerei!

PS= ah, já ia me esquecendo, errei a idade do seu Juvenal, segundo o obituário ele estava com 94 anos...

41 comentários:

Blogildo disse...

Que figura, o seu Juvenal!
Mas, morre saciado em dias o ancião. Figura ilustre, sem sombra de dúvida.
Como eu gostaria que a vida fosse mais simples.

Abraço!

Alequites disse...

Salve as lembranças!

Anônimo disse...

Belíssimo texto.
Meus parabéns.
Vc tem razão, há pessoas especiais q sofrem todas as adversidades e as supera com graça e leveza.
Uma lição de vida para aqueles cuja vida foi estável e sem dessabores e no entanto ainda reclamam.
Conheço alguns Juvenais, admiro a força q demonstram ao superar a morte de um filho, fico sensibilisada, pq não reconheço em mim essa força.

A MUDANCA disse...

Grande homem...


Jito

FF

Anônimo disse...

E muitos de nós, por muito menos se entregam à tristeza... espero ter a metade da vontade que ele tinha.

Abraços!!

Blogue da Magui disse...

Belíssima homenagem.Emocionante homenagem. Uma pessoa assim vive mais porque sabe que a vida não tem controle e viver é passar por tudo isso.Tem gente que não suporta reveses ou tristezas e outras acham que é perseguição e vira caso pessoal.Que Deus o tenha na Sua santa glória!

Suzy Tude disse...

Quisera ter um décimo da força de Seu Juvenal...
Felizes os que conseguem ser o que ele foi.
Um abraço

David disse...

Você me fez de lembrar de um outro "Juvenal", esse chamado de Antonio, meu avô, que acredito que tenha sido o primeiro grande amor de minha vida. Faleceu aos 84 anos, depois de uma vida de trabalho árduo, mas com filhos criados ( e um já enterrado).
Foi difícil ler até o final...

Keila, a Loba disse...

Sabe, eu conheci várias pessoas com o perfil do Seu Juvenal durante toda a minha infância, mas só a bem pouco me dei conta de como foram felizes os dias da minha infãncia. Triste, é verdade, mas antes tarde do que nunca.

A verdade é que pessoas assim, como o do Seu Juvenal, tornam-se exemplos de vida e permeiam as nossas escolhas e modos de ser. Mais tarde, na maturidade avançada, não percebemos com facilidade que somos um pouco de todas as "figuraças" que já passaram pela nossa vida.

BeijUivoooooooooossssssssss da Loba

Anônimo disse...

Sera que Deus revestiu algumas pessoas com uma couraca de alegria e algumas com uma simples seda? Ou sera que nos e que devemos vesti-la diariamente para nos proteger? Encontrar forcas na dor...porque a maioria de nos nao encontra? exemplos como esse nos lembram de que e possivel.

Defensor, O Maldito disse...

Por estas paragens não costumam freqüentar muitos anônimos(as). Já é a 2ª vez que comentas, e gosto do que leio. Gostarias que se identificasse da próxima vez amigo(a). Aprecio muito vossos comentários.

PlayingTheAngel disse...

Ola Defensor

vim´ca dar uma beijoca e agradecer as tuas palavras

Anônimo disse...

Amigo

Estou completando 1 mês de blogosfera e no meu pequeno reduto fiz um singelo tributo a

todos vcs q me prestigiaram e tiveram paciência para ler meus desabafos.

Agradeço a todos de coração !!!!!!!!!

Ricardo Rayol disse...

Fiquei arrepiado com o que contou. Sem palavras.

Anônimo disse...

Olá!!
com tanto carinho e emoção que ai dentro tem como se pode chamar de "maldito"?
1 beijo amigo e o aguardo no meu blog pois gosto mto das suas opiniões.
1 sorriso luminoso e 1 bj
lana

Anônimo disse...

A aparente escuridão de um caminho dissipa-se no momento que tocamos o nosso centro de luz... e a viagem continua gradualmente mais luminosa...

Simplesmente porque todos nós necessitamos de um abraço de quando em vez, deixo um abraço do fundo da minha alma para ti.

Se quiseres no blog http://lumenorigine.blogspot.com/ podes visualizar os vídeos Os Abraços são Grátis.

Anônimo disse...

Digamos que viver é uma arte, assim como saber morrer.

Que o diga meu avô, falecido em 2003 aos 93 anos, mas que teve medo da dita cuja quando ela bateu a sua porta.

Mas pô, o vélhinho era cheio de vida, sempre levantando cedo e - apesar de não cantar - olhando para o céu.

Engraçado é - e eu odeio frase feita e chavão - que conforme avançamos vida adentro, nos damos conta de como é fácil morrer, mas como é difícil viver.

[ ]'s

Saramar disse...

Defensor, boa noite.
Creio que algumas pessoas são estrelas e passam por nossas vidas apenas par anos iluminar.
Seu Juvenal é uma dessas estrelas, eu acho. E mesmo tendo ido, continua clareando a alma com essas lembranças tão lindas que você relatou.

Obrigada por repartir a luz conosco.

beijos

Mestre Splinter disse...

...Velho, eu não ia nem ler hoje o post,pois já é tarde, ia deixar p'rá amanhã de manhã, mas a frase da abertura me puxou, e cá estou eu...Estes são os legítimos heróis da verdadeira vida, Juvenais, Antônios, Zecas e Pedros, Mestres com seu verdadeiro ensinamento à todos que têm os olhos (ou seria o coração?) abertos...Mas sabe o que me chamou mesmo a atenção? A profissão do seu Juvenal: relojoeiro. Não é de hoje que há histórias sobre essas pessoas singulares e seu empenho em fazer um serviço bem feito(claro, claro, sempre tem a maldita exceção), e não sei o qüanto HQ é também a tua praia, mas há um capítulo da saga Taverna do Fim do Mundo, do Sandman(genial Neil Gaiman)que aborda maravilhosamente este assunto...Não lembro qüal número exatamente é, mas tu encontra p'rá baixar lá no Rapadura(rapaduradoeudes.blogspot.com), o antro dos gibinhos,em um hd virtual intelig...Se estiveres com paciência de catar, (se é que já não leste), vale muito a pena...Valeu mais essa, velho! Já vou dormir pensando diferente hoje!Abração!!!

tina oiticica harris disse...

Gosto de viver porque como diz uma canção de New Orleans, "Todo mundo quer ir pro céu mas ninguém quer morrer." Não sou como o Seu Juvenal, somos todos como os flocos de neve, diferentes entre si, vindos da mesma natureza.

Bonito teu post. Bonito, mesmo.

Ester Beatriz disse...

Olá Defensor!!! Sua página demorou um pouco pra carregar hoje..Gostei da frase de Barrymore...
O filme lá vou vê-lo de novo... :D Tem outros filmes coreanos "no gatilho" para eu ver...se forem bons comentarei também!!
Quanto ao seu banner...eu verifiquei e está tudo ok...a imagem está aparecendo normalmente...
Um abraço e ótimo fim de semana!!!

Ricardo Safra disse...

Caro Defensor

Eu procuro levar minha vida banhada à alegria de viver num momento histórico crucial para a aventura humana na Terra. É justamente a recuperação do sentimento de pertencermos a uma intrincada rede de relações em que o homem é apenas um dos nós.

Um abraço,
Ricardo Safra, estudante de Geografia

david santos disse...

Defensor, parabéns para ti e para o teu Juvenal. Está espectacular.
Bom fim-de-semana. Te deixo com "A MULHER; MULHER LATINA!"
Até sempre.

Anônimo disse...

Seria tão bom se todos pudéssemos ser como o Sr. Juvenal. Ele viveu plenamente memso com tantas atribulações e perdas.

Beijos meditativos.

Bela disse...

Adoro estas histórias de vida...
Fazem-nos pensar...

Abraço

Suzy Tude disse...

Oi Defensor, acho que a hora da prática é chegada...ao menos se tiver algum fundamento o que penso a respeito dos últimos acontecimentos. Explicaçãoe lá no blog.
Grande abraço

....:::: Anonima ::::.... disse...

Olá...
Como sempre, me surpreendendo com belos textos... gosto muito de como escreve.
Seria ótimo se todos fossemos como Seu Juvenal, mesmo passando por coisas pesadas, continua com um sorriso contagiante e uma vontade de viver surpreendente...
Pessoas assim merecem todo meu respeito... são pessoas fortes mas que não se tornam duras com o que a vida lhe oferece...
Essas pessoas sabem ''literalmente'' o que é viver... e vivem bem...

Adoraria ter conhecido Seu Juvenal...

Abraços

Sorte Sempre...

Luna disse...

Venho agradecer a tua visita ao meu cantinho, como tens razão nas palavras que escreves, encaramos uma luta diaria, é o caminho que nos é mostrado para aprendermos, que penso ser o que estamos aqui a fazer, e dependendo da forma como o percorremos, assim felizes ou infelizes nos tornamos. Só que cada vez mais nos preocupamos com os nossos sentimentos e nos esquecemos dos outros, e nem vimos como o nosso egocentrismo nos derrota
beijos

David disse...

http://img177.imageshack.us/img177/5042/defensorny5.jpg

Lord of Erewhon disse...

Belo rosto, limpo, sóbrio, afectuoso!

Helena Oliveira disse...

Para mim, o título desse texto deveria ser "Lição de vida",.Apaixonei com as suas palavras.Um espaço onde eu quero voltar sempre.
Obrigada pela vista e Parabéns.
:)

Lord of Erewhon disse...

Defensor com cabelo tava foda mesmo! Você ficava com ar de bonzinho! JAJAJAJA!!!

Abraço.

P. S. Anda um pateta teu conterrâneo a querer converter-me não sei a que igreja de merda - se disfarça de americano, mas eu já o topei!
Olha aqui o comment do cara (gajo burro mesmo, me avisando contra você):

GOD deixou um novo comentário sobre a sua postagem "WILLIAM BLAKE":

Dude, are you for real? I just happened to come upon your blog...I will definetely keep an eye on you and pray for you everyday...but I do have to give you a dosage of reality. You are never going to grow little horns on your head, nor a tail...so give up this farce of being a bad ass and start being real with yourself. You are not that special to think that the "Devil" has a special place in his heart for you. Word of advice, half of these people that are writing to you want to do naughty things with you, if you know what I mean. Especially Mr. Bald Head. Be Careful with him. I will keep in touch, just to make sure you don't get big ideas about yourself.

Love,

God

Lord of Erewhon disse...

«Love, GOD»! JAJAJAJAJA!!! que monte de merda!

David disse...

I´ll prayer for you too.

HA!

Keila, a Loba disse...

Preciso de um Uivoooooooooooooooo seu, Defensor! E quando ele chegar, em alto e bom som, que seja capaz de ajudar milhões de crianças nesse país a ter uma ceia de natal, ou mesmo um presentinho decente dbaixo da rede.

Te espero lá nos Uivos da Loba, e não economize a voz: Uiveeeeeeeee com o coração!

BeijUivooooooooooossssssss da Loba

Sombras disse...

De facto, viver não custa, o que custa é saber viver! Beijinhos e um bom Domingo...

Suzy Tude disse...

Defensor, voltei para completar:
ainda bem que o Sr. Juvenal não está sendo obrigado mais a vivenciar tanta meleca que estão fazendo com o nosso país.
Que descanse em paz este homem honrado e rao.
Um abraço

Anônimo disse...

O SERVIÇO DE UTILIDADE BLOGAL ESTÁ ABERTO

http://ssrjupdatedblogs.blogspot.com/

ENTREM, LEIAM AS REGRAS E SE FOR DO SEU AGRADO, O ESPAÇO É DE TODOS!!!!

DIARIAMENTE TERÁ UM ESPAÇO PARA AS POSTAGEMS DO DIA, BASTA DEIXAR AVISADO !!!!!!!!!!!!

ESTOU TORCENDO PARA Q DÊ CERTO E NÓS NOS MULTIPLIQUEMOS !!!!!!!

Anônimo disse...

Funcionou super bem o seu teste do nariz e vc postou no meu blog e saiu a foto perfeita. Eu tb tenho o nariz , e no entanto, posto em alguns blog ele aparece e em outros, como o seu por exemplo,a foto não aparece.
Eu não faço ideía do pq desse problema.

Anônimo disse...

VIU SÓ ???????????????

Anônimo disse...

Cara, por isso que eu gosto de passar por aqui toda noite. Minha avó era filha de uma índia legítima e um francês, e tinha a força dos índios e a cultura do europeu; sabia as histórias da floresta, conhecia o culto à natureza, e também pintava, tocava piano e falava várias línguas. Jamais se esquecia dos presentes dos netos. Passou o inferno na Terra após a morte de seu marido, ficou com as costas tortas de tanto trabalhar como escrava para a igreja por moradia, comida e estudo para seus 3 filhos, no entanto nunca a viram de mau humor e nem perdeu a fé, sempre achava um motivo pra alegrar. Nos últimos dias, ainda queria lavar a própria roupa... Embora eu seja pagão, sinto falta dela nessa época de Natal. A alegria dessa festa se foi junto com ela. Fica a alegria de acreditar que ela cumpriu bem o ciclo da vida, e me ensinou a ouvir a "canção do vento". Esquecer dos prédios, carros e postes, olhar pro horizonte e se concentrar em ouvir o vento, as árvores e os pássaros, então você pode ver Deus, e suas mágoas vão embora, e seus problemas se tornam meras questões.

Um abraço :)