segunda-feira, março 17, 2008

CRÔNICAS DO CORAÇÃO
Image Hosted by ImageShack.us
Coração por Scott Saw

Aridez de coração, espelhada em olhos gélidos. Estas eram as características de Tiglatpileser (1117 - 1078 a.C.), fundador do novo império assírio - povo com apetite peculiar pela guerra e crueldade - cujo reinado fora marcado pelo terror. Durante os anos em que ficou no poder impôs toda a sorte de brutalidade a seus adversários. Após ter conquistado e destruído inúmeras regiões na Ásia, mandou confeccionar um hino em seu louvor, no qual pode ser comprovada sua fama de sanguinário:

“Avançou, percorrendo um caminho de três dias;
Antes do nascer do Sol, o seu chão estava em brasa.
Dilacerou o ventre das grávidas,
esquartejou o corpo dos fracos,
cortou o pescoço dos poderosos,
os fortes morreram depois do incêndio de seus países...”

Diz uma antiga lenda que este rei, às portas da morte, teve uma visão: Um poderoso demônio dançava sobre seu sepulcro, enquanto elogiava a maldade de seu coração, anunciando que por isso, haveria de sofrer tormentos num reino de sombras e punição.

Somente após esta aparição, é que o rei compreendeu que o mal presente em vida no seu coração não poderia ser sepultado com ele. Ordenou, então, ao sacerdote encarregado dos ritos funerários que seu coração deveria ser retirado e enterrado longe de seu sepulcro. O clérigo obedeceu e encravou o órgão na fértil planalto de Cujunguik em frente a uma árvore centenária. Pouco tempo depois nada mais vegetou ou cresceu neste lugar, e toda a vegetação existente secou e morreu, exceto pela vetusta árvore que ainda continua lá, petrificada.


Image Hosted by ImageShack.us
Assírios, um povo “sem coração”

É costume dizer que as pessoas generosas têm um bom coração, ao passo que as más “não têm coração”, ou têm um “coração de pedra”.

A palavra coração, ao que parece, deriva do latim “cor”, cuja origem pode ser encontrada na palavra kurd, do sânscrito, que significa saltar.

O coração, desde tempos imemoriais, esteve cercado de simbolismo e poder, sempre associado à vida, coragem e amor. Em verdade, ele pode ser considerado um emblema universal, tendo em vista estar presente em representações em quase todas as culturas e civilizações conhecidas.

Foram os egípcios, no entanto, os primeiros a estudar os mistérios desse órgão. Antigos tratados médicos desta notável civilização dão conta de que eles tinham conhecimento de que os vasos sangüíneos nasciam no coração e se espalhavam por todos os membros, concluindo, a partir desta observação, de que o coração enviava mensagens pelo sangue, ordenando-lhes que assim agissem, conforme nos relata T. Rundle Clark, no clássico “Símbolos e Mitos do Antigo Egito”.

Na parte mitológica, o povo que construiu a única das sete maravilhas do mundo antigo ainda existente, acreditava que o coração teria papel fundamental na vida pós-morte.

Eis que os egípcios acreditavam que após morrer todos eram submetidos a um julgamento perante o Tribunal de Osíris, na sala Maat (Justiça), no qual haveria a “pesagem do coração”. Num dos pratos da balança estaria o coração do morto, e no outro prato, uma pena. Se aquele fosse mais pesado do que esta, um monstro de aparência terrível, devoraria a alma do falecido, colocando termo ao sonho de vida eterna deste.

Image Hosted by ImageShack.us
A Pesagem do Coração na Mitologia do Antigo Egito

Os Astecas, que ficaram célebres por seus sacrifícios humanos, nos quais o coração era retirado do peito do imolado ainda pulsando e, então, oferecido a seus deuses, horrorizaram os espanhóis liderados por Cortez quando da conquista do Novo Mundo, como se estes tivessem o coração cheio de “boas intenções” para com os Ameríndios.

Image Hosted by ImageShack.us
Um Sacrifício Asteca

A Bíblia é pródiga ao mencionar o coração, ora como um caminho para se chegar a Deus, ora advertindo os maus de coração. Vejamos:

“Então procurarás o Senhor, teu Deus, e o encontrarás, contanto que o busques de todo o teu coração e de toda a tua alma” (Deuteronômio 4,29).

“Ó, homens maus, Deus quer livrá-los da maldade que inunda os seus corações e enchê-los de amor e paz. Arrepende-te, pois, da tua maldade, e roga ao Senhor; talvez te seja perdoado o intento do coração” (Atos 8:22).

No festejado Sermão da Montanha, o Cristo indica que somente os puros de coração verão a Deus, conforme se pode ler em Mateus capítulo 5, versículo 8. Aliás, não é sem motivo que o próprio Filho do Homem possuía um coração sagrado.


Image Hosted by ImageShack.us
O Sagrado Coração de Jesus

No Eclesiastes, Salomão, com seu habitual escárnio, e mérita propriedade, proclama: O coração dos homens está cheio de maldade, nele há desvarios enquanto vivem (Eclesiastes 9:3).

Tenho certeza que de algum lugar no céu, ou no éter, o filho de David ficou triste ao comprovar a veracidade surreal de sua assertiva no século passado: Hitler, Stalin, Pol Poth, entre outros, são exemplos de seres que não podem ser chamados humanos, pois não possuíam coração.

Na literatura medieval encontramos importante referência ao coração na lenda o Rei Arthur e o Santo Graal – ou Santo Cálice, aquele da última ceia, onde supostamente José de Arimatéia teria recolhido o sangue de Jesus crucificado, após Este ter sido espetado pela lança do centurião romano Longuino. Todos os cavaleiros da Távola Redonda partiram em busca do Cálice, mas somente um entre eles, Galahad, justamente o único puro de coração o encontrou.

Na verdade, trata-se de uma alegoria, pois a procura pelo cálice se refere à busca pela Verdade, que só pode ser encontrada por aqueles que têm o coração imaculado.

Na astrologia, tradicionalmente o Sol, fonte de luz, calor e vida rege o coração.

Os antigos alquimistas redigiam textos difíceis, herméticos aos não iniciados em seus tratados sobre a “Grande Obra” e a transmutação do chumbo em ouro. Muitos até hoje não compreendem o significado oculto dessas assertivas.

A simbologia alquímica não se aplica aos bens materiais, mas às transformações espirituais. O homem é a própria matéria da Grande Obra, nas palavras de Grillot de Givry. O chumbo significa a vulgaridade, o bruto, a ausência de inteligência, ao passo que o ouro, expressa justamente o contrário. Esta transformação só seria possível com a evolução interior, a começar pelo coração. Desta forma, “somente os homens de coração puro e intenções elevadas serão capazes de realizar a Grande Obra”.

O genial Dostoievski escreve em “Diário de um Escritor”: Os erros e as dúvidas da inteligência desaparecem mais depressa, sem deixar rasto, que os erros do coração.

Os erros do coração realmente parecem atormentar e ferir muito mais do que os desacertos da razão... Na verdade, devo concordar com a filosofia de Pascal, quando ele escreve que “o coração tem razões que a razão desconhece”...

E no amor? Neste campo o coração domina.

Brasão dos apaixonados, o coração, ora se alegra, ora sofre por amor.

É sempre aquela alegria contagiante quando vemos a pessoa amada. Declarações de amor eterno: “Meu coração sempre será seu”, ou, “Te amo de coração”

Por outro lado, quem nunca sofreu por amor e nunca pensou: “Ele (ou ela) magoou meu coração”... E aquela tristeza interminável que leva nosso coração a quase parar de bater!

Alegria, contentamento, tristeza e melancolia. Tudo por causa do coração!

Os poetas geralmente escrevem sobre o nobre órgão com certa melancolia, ou pesar, como na poesia de Fernando Pessoa:

Peguei no meu coração
E pu-lo na minha mão
Olhei-o como quem olha
Grãos de areia ou uma folha.
Olhei-o pávido e absorto
Como quem sabe estar morto;
Com a alma só comovida
Do sonho e pouco da vida.


Image Hosted by ImageShack.us
Coração na arte de Joseph Capuano

E os cantores? Sempre preferi aqueles que falam com alegria do coração. Quem não se lembra da letra de “Carinhoso”, composta por João de Barro e imortalizada na voz de Pixinguinha:

Meu coração
Não sei porque
Bate feliz, quando te vê...

É costume perguntarmos: O que deseja seu coração? Esta pergunta reflete a enorme importância deste maravilhoso órgão, pois mesmo sabendo que é o cérebro que nos comanda, insistimos em crer que nossas vontades emanam do coração.

Muitos corações desejaram a glória e a imortalidade. Alguns a conseguiram, outros fracassaram na tentativa. Muitos corações desejam apenas uma vida melhor, livre de privações, outros desejam apenas amar e serem amados. São inúmeras as variáveis para os desejos do coração.

Entrementes, quaisquer que sejam as vontades do coração, o importante é que nunca deseje mal ao próximo, o que infelizmente nem sempre acontece.

Apesar de toda a maldade no coração dos homens, tenho certeza de que existem muitas chamas que brilham e iluminam os diversos corações daqueles que lutam pela dignidade, pelo bem e pela justiça.

Que nosso coração pulse tranqüilo enquanto estivermos caminhando sobre a terra, e quando estivermos debaixo dela, que ele descanse em paz, com a certeza de que nos esforçamos ajudando a construir um mundo melhor!

...o coração não me envergonha por meus dias (Jó 27,6).

46 comentários:

tinovska disse...

Ô Defensor, você deu uma aula e tanto. E a China com seu Emperador no conto de Andersen que prefere um rouxinol mecânico ao de verdade, quando este nunca quebraria e lhe daria felicidade?

É só o que minha cultura pode acrescentar. E um detalhe: na Internet há corações infelizes que vivem de fazer mal coletivamente a outras pessoas por puros preconceitos. Isto é muito triste ao meu ver.

Muito bonito e tocante teu post. E fui a primeira?

Cejunior disse...

Como a lua, o coração é dos poetas.
E das crianças que ainda não chegaram na idade de pegar um trezoitão e barbarizar por aí...
Nesses nossos tempos, as pessoas só lembram do coração na hora de um enfarte...
Um abração!

Bruxinhachellot disse...

Interessante e muito eloquênte sua dissertação a respeito do coração. Os fatos históricos e as menções bíblicas enriqueceram seu texto, tornando-o mais versátil e fácil de ser entrendido.
Meu coração alegra-se por saber que ainda tens muito pra nos contar.

Beijos poéticos.

Defensor disse...

Tinovska: o preconceito é o pior, sem dúvida...
Obrigado pela presença.
Abraços

Defensor disse...

Cejunior: o coração é um emblema de de todos nós, assim como a Lua...

... e temos bandidos piores do que os antigos Assírios.

Abraços

Defensor disse...

Bruchinhachello: Ainda há muito o que este coração deve fazer.
Escrever é uma delas. Sobre qualquer coisa que seja do meu agrado, seja poesia ou crônica.
Fico feliz que tenha apreciado...

O Árabe disse...

Excelente post, amigo! A amizade é apenas um dos motivos que me levaram a saudar a tua volta... outro está nas belas páginas que escreves! :)

Flávio disse...

Parabéns, amigo! A sua erudição rivaliza com a felicidade no expressar das idéias! Meu abraço.

Alê disse...

Algo na minha válvula pulmonar. Preciso pensar!
Namastê!

Defensor disse...

O Árabe: viva! também acho o mesmo do que escreves...
Forte abraço

Defensor disse...

Alê: fique bem!

Defensor disse...

Flávio: quem me dera ser tão erutito assim... apenas escrevo...
Forte abraço

Cassiane Schmidt disse...

Oi Defensor, adorei seu texto!!! Reflexões tão pertinentes aos nossos dias...
Abraços

Kafé Roceiro disse...

Amig�o,

Voc� � um cara visceral, profundo e acho que posso dizer apaixonado.

Um forte abra�o,

Kaf�.

david santos disse...

DE ESPÍRITO COBERTO

Que xaile negro nós somos,
Sempre negro, mesmo ao invés;
Mostra algumas clareiras,
onde reina a estupidez.

Uma Santa e Feliz Páscoa

David disse...

Voltei. E de cara você dá pano pra manga aqui. Este coração precisa de conserto urgente...

Um grande abraço.

Defensor disse...

Cassiane: Realmente, é uma reflexão pertinente... principalmente quando sabemos que quem tem o poder de mudar algo no País queda-se inerte, sem coração.
É necessário que tenhamos pessoas de bem no poder, pessoas com coração... com coragem para mudar situações que se arrastam por décadas no Brasil.
Abraços

Defensor disse...

Kafé: gostei do adjetivo. Visceral é a palavra... Gosto de todo o tipo de literatura e som "visceral". Aquilo que vem de dentro do peito é o melhor que se pode ter...
Abraços

Defensor disse...

David Santos: Igualmente!
Abraços

Defensor disse...

David: Também eu fiquei ausente durante longo período. Seja bem-vindo de novo, amigo.
...e não suma!
Abraços

Defensor disse...

Kokoro: recusei seu coment sem querer...e por isso já desativei a moderação... sorry!

Renata disse...

Bravo, bravíssimo!!!!

Adorei o post! Obrigada por me proporcionar esta leitura tão gratificante!

bj, e boa páscoa!

Saramar disse...

Uma aula para ser guardada.
Gostei demais e aprendi muito.
Obrigada.

FELIZ PÁSCOA!

beijos

Carla disse...

apenas para dar os parabéns por este magnífico e bem documentado texto...
vou voltar, certamente
bjs

Mestre Splinter disse...

Belíssimo texto, como já era de se esperar, hehehe...

..desculpa a demora em aparecer, brother... mas ando meio enredado nos tentos por aqui(isso seeempre acontece)...

...não vejo o que poderia eu acrescentar, então vou só dexar p'ra ti ouvir(e p'ra mais quem queira, óbviamente) uma canção com tema relacionado...


http://www.divshare.com/download/4096000-917


...trata-se de uma música do Cuchilla Grande, uma banda formidável lá das barrancas do Uruguay... chama Sagrado Corazón...

...tenho certeza que tu, como bom metalero que és, apreciarás...



Um grande quebra-costela!

Blogildo disse...

Rapaz, esse é um texto feito com o coração. Na Bíblia, por sinal, o coração - não raro - é indicado como uma sede das motivações. Para o bem e para o mal, o coração é necessário.

Abraços!

aperitivus disse...

convido-te a saborear esse APERITIVU

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Nossa! Estou "embasbacada" com a sua aula!
Parabéns!
Ainda mais porque cita Pessoa e Dostoievisck... Amei, de coração!
Um grande beijo

O Árabe disse...

Hoje, passando para deixar um abraço amigo. :)

impulsos disse...

Excelente post, amigo defensor!
As histórias e fábulas que rodeiam a figura deste órgão vital que nos permite viver.
Não as conhecia e confesso que me agradaram bastante.
É talvez o único órgão do nosso corpo, que, ultrapassa a barreira do físico e reina também no universo espiritual e emocional.

Beijo

Vera disse...

Vivendo e aprendendo! E eu adorei!
O coração tem realmente muito do que falar, mas sinceramente que nunca pensei que tanto!
Uma aula excelente amigo :)
Parabéns e obrigada! Gostei mesmo de ler!

Um beijo grande

Lord of Erewhon disse...

Muito haveria a dizer sobre a imagética sacra do coração em todas as religiões, e das influências...

A pesagem do coração é bem actual, mas vive-se um tempo sem memória!

Belo post.
Abraço.

Luís Galego disse...

me rendo a esta magistral aula sobre o orgão mais importante das nossas vidas, mesmo quando falamos dele em termos metafóricos. Um abraço do coração desde terras lusas...

Å®t Øf £övë disse...

Defensor,
O Coração, é o orgão principal de todo o ser humano. Há os que têm bom coração... outros nem tanto...
Abraço.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Oi
Um dia ainda te conto minha história em STL... rs! Tem coisas que só acontecem comigo - é cômico!
E sim... Minas é linda! Mas ainda prefiro minha ilhota!
Tô partindo... dou notícias assim que puder
beijo

multiolhares disse...

Coração este órgão que bombeia o sangue, tão bem o descreveste só tenho a acrescentar se me permites que os místicos acreditam que existe um átomo no coração de seu nome Nous, que é ele o portador do amor, é esse átomo sublime que deve ser trabalhado para trilharmos o caminho do bem

beijinhos

Escorpiana Explosiva disse...

passei para acradecer a visita e dizer que amei o que acabo de ler .
como sempre vc escreve coisas maravilhosas bjão.

Flávio disse...

Passando para deixar um abraço e desejar uma ótima semana!

keila, a Loba disse...

Fico feliz em sabê-lo curioso e devotado às coisas da alma e do coração, Defensor.

Sei pouca coisa, quase nada, mas registro aqui que algumas seitas e cultos dizem que todos nós praticamos crueldades e igualmente fomos vítimas, eis um dos motivos pelos quais necessitamos resgatar capítulos de vida e evolução conosco e com os outros. Não tenho religião definida, tampouco sou espírita, mas acredito que não estamos aqui por um propósito menor que evoluir, aprender, ser melhor e seguir em frente, do contrário a Natureza Divina não gastaria milhões de anos arrumando um local com as melhores condições para existir vida. Vida não é um mero processo biológico para nascer e morrer sem que isso tenha um grande significado e finalidade.

Por saber que poucas linhas e palavras não conseguriam traduzir o meu pensamento, deixo aqui o meu Uivoooooooooooooooooooooo sincero, amigo.

BeijUivoooooooooooooooosssssss da Loba

Anônimo disse...

Tristemente oportuno este post, como podem dois corações sentirem tanto amor e tanta ira ao mesmo tempo? Sempre considerei imfame o ditado que diz que "amor e ódio são sentimentos que caminham juntos", mas começo a crer que ele procede...Seria possível que se sentíssemos menos amor diminuiríamos proporcionalmente os sentimentos negativos como mágoas e cobranças? Tal conjectura me parece cruel demais! Não tenho a menor idéia do que pode ter ocorrido conosco; é como se uma força contrária à nós mesmos nos guíasse por vezes...Terá sido "olho gordo", mandinga ou algo que o valha? Poderá ter sido possível que alguma "força" externa tenha nos derrotado? Ou teriam sido simplesmente nossos próprios demônios interiores que resolveram dar o ar da graça; ou melhor; da desgraça...Sinto que fui eu mesma minha mais cruel inimiga, jamais quis ser tua inimiga, creio que castiguei bem mais a mim mesma! Com o coração destruído deixo como recordação meu sorriso triste e uma lágrima; misto de amor e decepção...

Defensor, o maldito disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
keila, a Loba disse...

As dores e o medo nos ensinam muitas coisas, dentre estas lutar pelos outros. É isso o que estamos tentando fazer nos Uivos da Loba e em outros incontáveis blogs espalhados pelo mundo: PEDIR E LUTAR PELA RETIRADA AMERICANA NO IRAQUE.

Sabemos que não é uma luta fácil, mas ao menos não ficaremos indiferentes e em silêncio frente ao holocausto que se repete.

Peço-lhe que me envie o seu e-mail via Uivos da Loba para que possa enviar material. O meu é keiloba@yahoo.com.br

BeijUivooooooooooooooossssss da Loba

keila, a Loba disse...

As dores e o medo nos ensinam muitas coisas, dentre estas lutar pelos outros. É isso o que estamos tentando fazer nos Uivos da Loba e em outros incontáveis blogs espalhados pelo mundo: PEDIR E LUTAR PELA RETIRADA AMERICANA NO IRAQUE.

Sabemos que não é uma luta fácil, mas ao menos não ficaremos indiferentes e em silêncio frente ao holocausto que se repete.

Peço-lhe que me envie o seu e-mail via Uivos da Loba para que possa enviar material. O meu é keiloba@yahoo.com.br

BeijUivooooooooooooooossssss da Loba

Ravnos_Blacklotus disse...

Fiquei boquiaberto com um texto tão completo. Tirarei alguns minutos mais tarde para ler com mais atenção.

Um abraço.

NICANOR disse...

Senhor Defensor,
Emerson dizia que a vida é uma caixa de surpresas.

Podemos estender o raciocínio e afirmar que cada coração é uma surpresa encaixotada e a cada salto nos surpreende, nos assusta, nos comove, nos traz a morte.

Vemos as surpresas na mídia, que narra ad nauseam surpresas perpetradas por corações doentes. A alma é a surpresa de cada coração. Todos temos coração, mas nem todo coração tem alma. Seria isso ?

Anônimo disse...

Panfleto Fascista