domingo, abril 27, 2008

INCERTEZAS
Image Hosted by ImageShack.us

As lágrimas escorrem, as cicatrizes ficam mais profundas. Na alma, um sentimento desolado. A dor da decepção é seca como o deserto.

O ontem ainda está presente e o futuro parece incerto. Queria entender os sinais, os avisos do destino, mas não consigo decifrá-los.

Sigo sozinho com minhas dúvidas, angústias e temores. Onde quer que eu olhe, onde quer que eu vá, carrego uma mágoa que insiste em me seguir. É o pesadelo da amargura, um monstro desfigurado com dentes afiados do qual não consigo fugir.

Houve um tempo em que sonhei o sonho dos loucos, o doce sonho das crianças. Era o tempo do amor, doce e fiel. A regeneradora época da primavera, quando existia magia no ar, quando existia sorriso, meigo, sincero.

Sei que esta magia ainda existe, ainda está em algum lugar, pronta para entrar em ação de novo. Talvez quando eu menos esperar, ela se mostre ou talvez silenciosamente aponte o caminho a seguir.

Queria ouvir uma voz suave que me dissesse que minha jornada não foi em vão, uma voz que me falasse que não lutei batalhas inglórias.

Quanto à desilusão, sei que somente o tempo irá curar as marcas por ela deixadas.

Aquilo que não nos mata, nos faz mais fortes... mas a que preço?

12 comentários:

Ravnos_Blacklotus disse...

As vezes tenho a impressão de que vai custar tanto que mesmo depois de morrer ainda irei me lembrar o quanto devo.

ps.: notei q mora em santos ;)

Cassiane Schmidt disse...

Ol� anjo do bem,

Muito profundo o texto, acredite, o sol vai tornar a brilhar na sua vida!

Ricardo Rayol disse...

duvido muito que faça esse caminho sozinho meu amigo, pelo menos um tem aqui, se tiver um bar na trilha melhor ainda.

Poeta Mauro Rocha disse...

Belas palavras e gostei do visual do seu blog, voltarei e obrigado pela visita.

MAURO ROCHA

Multiolhares disse...

A procura é sempre solitária
E as batalhas nunca, jamais, são inglórias
As desilusões se não nos perdermos na tristeza fortalecem, no final estamos neste plano cósmico em aprendizado, o importante é manter sempre a porta aberta, pois quando algo acaba algo recomeça
Bj

Lyra disse...

Sei que há um prazer violento que se chama gozar. Adivinhei-o noutros tempos, num momento de embriaguez...é quando a alma se conhece a si própria e isso é possível se acreditarmos.

Beijinhos e até breve.

;O)

Betty Branco Martins disse...

querido________Defensor



.nas[das] entranhas_____as





palavras








______ele de facto amava_______o sol
que descia a colina purpúreo
________os caminhos da floresta______o canto do pássaro negro
e_________ a alegria do verde
________sisuda______era sua a morada
à________sombra da árvore
e puro o seu rosto
______________alguém______falou ao seu coração
uma________doce chama




_________hOmEm!!!





__________...











beijO______C______CarinhO

osátiro disse...

A magia é algo que temos de criança e que não devemos perder...

sp disse...

Venho agradecer a visita e dizer que gostei... do texto e da fotografia.
Obrigado!
Um abraço... peludo!

Martha Barbosa disse...

Belo texto ,defensor, deveria virar escritor. Por este motivo te adicionei nos meus favoritos, gosto de vir aqui. hoje fiz nova postagem apareça por lá ,será muito bem vindo. Um abraço
marthacorreaonline.blogspot.com

Å®t Øf £övë disse...

Defensor,
Tenho que te confessar que este texto me tocou muito, porque me revejo em cada palavra que escreveste.
Abraço.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.