domingo, fevereiro 25, 2007

VEM FORTE
Image Hosted by ImageShack.us
Vem forte, a luz
É o começo, a eternidade
Brilho intenso
Cega a visão
Ilusão de vida e vontade
Atinge o homem e o cão

Vem forte, a dor
É a derradeira oração
O ato final
Um mundo sem cor
Atinge o coração
E deixa destroços
Um baú de ossos

Vem forte, a adaga
É o fim, a despedida
Mera lembrança
Existência amarga
Uma vida perdida
Ceifada, despedaçada
Mas nunca esquecida

45 comentários:

Defensor disse...

Saudações

Só passei rapidinho pra postar essa poesia que eu já havia escrito a algum tempo atrás.

Ainda sem tempo para visitar todos os amigos, desculpem...

Abraços à todos,
Paz e prosperidade.

Cejunior disse...

Também passei rápido e dei com esta poesia e a Doce Desejo, abaixo, uma maravilha lindamente ilustrada.
Um abraço e boa semana.

Renata disse...

Sem problemas, apareça quando quiser.
Achei bonita a poesia, mas triste. Ainda tô esperando o dia que vou te "ver" alegre!
bjo

Ricardo Safra disse...

Caro Defensor

Faz tempo que não visito seu blog, contudo percebo que você é um cara muito ligado à beleza sensível, e a força das palavras contidas nos poemas. Eu credito que nós precisamos encontrar beleza em tudo que a vida nos oferece. Seja no amor, na natureza, nas relações humanas, e até na dor, afinal, para alguns ela significa um estágio de superação em busca de uma nova beleza que floresce onde menos se imagina.

Um abraço,
Ricardo Safra, estudante de Geografia

Ana Gotz disse...

Você consegue transformar a morte em poesia...

Perco o medo do escuro quando leio seus textos.

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Espero que me desculpe forma como faço os meus comentários, mas é pura e verdadeira...
Para mim não chega, dizer está bonito ou lindo – por isso gosto de deixar pensamentos frases de outros autores como presente da minha gratidão e do meu encanto do que leio, do que observo nas imagens e na escrita.
É a minha maneira de ser esta...
A critica faço-as, da forma como somos tratados pelo Estado que ignora os problemas da nossa sociedade e como pouco ligam aos grandes talentos que encontro nos blogs.
Peço desculpa e se alguém não gostar da forma como faço os meus comentários agradecia que me dissessem pois tentarei melhorar.
Sou apenas uma amadora de escrita que escreve pela beleza de sentir na escrita as palavras que me vão na alma e penso que é essa a beleza que encontro naquilo que leio cada um escreve com a sua beleza.
Não quero com isto desrespeitar ninguém até porque as palavras lindas, bonito têm um grande significado no meu vocabulário.
Boa semana
Beijinhos
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Jefferson P. disse...

Sua poesia,,, me emudeceu...

que obra!!!


abrçs...


jf p.

Cristiano Contreiras disse...

Vem a vontade, clamando vida, a carne vibra, vem forte o momento...

Flávio disse...

Bonito, amigo! E verdadeiro; uma vida nunca é esquecida! Grande abraço

ANKH disse...

Agradeço a visita e é bom saber que a história ainda vive!
Gostei da tua antiga poesia.
Terra de todos os Deuses e de onde surge o vislumbre do Deus único.
O Escaravelho está ligado á Khefri pois era este deus assim representado, outras vezes como um homem com a cabeça de escaravelho.
Grande Paz!
Ankh

tina oiticica harris disse...

Ai, que não ando bem, preciso de posts mais inconsequuentes. Não precisam ser sobre Britney Spears, mais light.

A gente não manda no Blogueiro...

Blogildo disse...

Vem forte...a morte!

Vera disse...

Ainda bem que colocaste esta poesia. É um poema lindíssimo com tragos de tristeza, mas sem dúvida que muito belo!
Adorei!

Beijinhos

M.Marcolin disse...

Mui Belo, amigo, tem tua personalidade... Té mais!!!

Betty Branco Martins disse...

Querido Defensor

Poema - de certezas feito - pois maior certeza não temos...

...)Tu! espreitas traiçoeiramente – dando na corda os nós
Quão desespero em mirante – de nortada
Talhas a madeira - com a certeza dum algoz
Morte que tomas a vida – vida por ti ceifada

Beijo com carinho

Vera Carvalho disse...

A morte tal como a vida é tão fácil de ser sentida, tão fácil de ser transformada em obra e lembrança.
Gostei do poema.

Mestre Splinter disse...

Velho, incrível: esta não me lembrou o Poe!

...mas sim, Augusto dos Anjos, o poema Solitário: ''Como um fantasma que se refugia na solidão da natureza morta...''

Uma seleçãozinha dele aqui:
http://sites.br.inter.net/bielepoesia/?id=236

Abração!

Suzy Tude disse...

Defensor, sua espada traz a morte e conserva a lembrança. Seu poema não tem só beleza, tem reflexão.

Grande abraço

Ricardo Rayol disse...

Adaga
Faca afiada
Lingua ferina
Ceifa
Vidas, mortes
Leva de roldão
A dor
A angustia, desespero
Desesperados caminhos
Fim do mundo
Cor

cara é o melhor elogio que posso fazer.

Escorpiana Explosiva disse...

Linda poesia realmente encantadora, embora tenha seus momentos triste.

Talves a gente só para percebe isso quando ja não temos mais quem amamos perdo da gente.

Acho que a vida nunca é perdida para quem sabe realmente o que esta procurando.

A velhice chega,mas não nós impede de amar,de relebra de amores conquistados,amores perdidos.

Nosso corp pode se despedaçar mas nossa alma não,pois ela luta contra o esquecimento para nós sempre lembra das coisa que um dia nós fez feliz por alguns minutos.


Um abraço.

Sujeito Oculto disse...

Você é bom, cara! Profundo.

Sobre seu comentário: o que diferencia a sensação do palco da sensação do sexo é que o palco fica na memória e o sexo passa. Escrevi a segunda parte da crônica.

Luna disse...

Linda a tua poesia, mas se as nossas existências não fossem esquecidas, não repetiriamos os mesmos erros, em vez de colhermos sofrimento descobririamos a paz.
jinhos

david santos disse...

Olá!
Belo!
Parabéns.

A Mónada disse...

Apetede-me terminar esta poesia assim:

"... e para sempre amada."

Fica bem não fica?

Fica bem tu tb.

Bruxinhachellot disse...

Pode nos tirar a vida, os sonhos, a esperança, porém sempre seremos parte desse todo, seremos lembrança.

Beijos de liberdade.

Renata disse...

Cara, vc me intriga... (receba como um elogio pois poucas pessoas me intrigam)
bjo e boa semana

Bruna disse...

Defensor,

Tirou uma beleza sublime da tristeza. Da morte? da saudade?

Um grande beijo

rosa maria disse...

Palavras intensas...

Isabel disse...

Amei o teu poema...
Forte intenso poetico e até doce, como é a morte.

Já estive um pouco morta em coma e senti a morte de perto.
Não gostei.
Gostei mais do poema da vida
Mas a morte é sedutora e quente e a seu poder é infinito... um dia a todos nos levará... espero viver esse dia com a mesma poesia com que tenho vivido os meus dias de vida.

Escreves com uma luz própria, é isso que destingue quem escreve e o que escreve... a luz que emana.

És luminoso!

Até breve

Isabel

Glênio Gangorra disse...

Parece um hino de nosso amado movimento bolivariano. Vova Fidel, Viva Maria Calas.

Cineasta 81 disse...

Sinto medo de rimas.
Não sei o que é, deve ser algum trauma.

Cineasta 81 disse...

Sinto medo de rimas.
Não sei o que é, deve ser algum trauma.

Cineasta 81 disse...

Discordo

Keila, a Loba disse...

Entre emoções e extrema sensibilidade poética, a ausência e a falta de tempo quebra a beleza dos teus Uivooooss, Defensor.

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

A melhor parte da vida é aquela que fica bem entre o nascimento e a morte...he he he
Um abraço!

Lana disse...

Vem forte a vontade de continuar a ler o teu blog.
aparece quando quiseres e quando puderes... cá estarei eu e outros para te receber ... forte e alegre ... mesmo na tristeza ...
~1 sorriso mto luminoso
Lana

Priscylla disse...

Nobre amigo poeta,
há tempos nao venho ate aqui
e o seu blog ainda continua como sepre cheio de conteudo

queria ter o mesmo animo de escrever tão quanto
mais ok.. pelo menos ainda tenho para ler.

um abraço

-›¦‹-Sombras-›¦‹- disse...

Fortes são as tuas palavras, de amor e de dor, de vida e de morte! Fica bem e tem uma excelente semana. Beijinhos, mil

Lia disse...

A morte, irmã do amor...

Beijinhos

Bruna disse...

Defensor,

eu jurava que já tinha comentado este post. Não, né? esse Haloscan vou te contar ....

Despedidas são sempre tristes, mas podem ser belas como tua poesia.

Um grande beijo

dellconte disse...

Gostei da poesia!!!
Posso colocar ela no meu proximo posto com link para o seu blog?

Escorpiana Explosiva disse...

Caro amigo será que me consegue o novo endereço da nossa amiga do blog Espírito livre pois gostei muito mas não tenho conseguido entrar.

Recebo a mensagem que preciso ser convidada que pena.

Um abração.

david santos disse...

Olá, defensor.
Belo! É do que todos precisamos, belesa. Mas nos sítios certos. Nomeadamente, no amor.
Abraços

Klatuu o embuçado disse...

Tão forte que derruba?

Abraço!

A Mónada disse...

O Amor é o nosso estado natural de existência. É preciso senti-lo bem no fundo do nosso ser para podermos transcender a morte e qdo o conseguimos fazer então descobrimos que morte não há. É apenas um portal para a dimensão que nos é mais natural.

"Uma vida perdida ceifada, despedaçada. Mas nunca esquecida"

é isso! A vida terrena foi o que foi mas nunca esquecida e se foi perdida quem o saberá?

A morte é apenas o desencarnar para uma outra existência onde o Amor é mais puro, mais existêncial, mais sereno, terno e cheio de graça.

Para ti um abraço cheio de LUZ pela tua poesia.

Fica bem Defensor mas nunca maldito.