sexta-feira, fevereiro 09, 2007

REFÉNS
Image Hosted by ImageShack.us
"O mal se espalha rapidamente".

A assertiva é válida e encontra fundamento na ganância e perversidade dos homens. Outro dia, estava assistindo a um telejornal, e uma notícia me chamou a atenção: Grupos para-militares estavam "fazendo a segurança" nas favelas do Rio de Janeiro. A tática desses grupos é simples: armados, expulsam os traficantes, sob o pretexto de banir o tráfico de drogas e proteger os moradores de determinada região. A idéia, num primeiro momento, até poderia soar como interessante, uma vez que o Estado, encarregado de proteger seus cidadãos, não o faz adequadamente.

Não fosse por um pequeno detalhe: esses "benfeitores", na verdade, cobram dos moradores do local "protegido" uma "taxa de segurança".

É o famoso "trocar seis por meia dúzia". Troca-se o traficante pelo segurança, e os moradores do local continuam a ser achacados, humilhados e pisoteados em seus direitos, pela total ineficácia do Estado em garantir a segurança pública.

Ao assistir a reportagem, pensei comigo - Logo, logo esta "novidade" irá se espalhar, assim como tudo o que é nefasto. Não demorou nada e, em notícia veiculada pelo Jornal A Tribuna de Santos, do dia 4 de fevereiro, Caderno A-6, lê-se: “Zona Noroeste. Milícias Armadas Assumem Segurança”. Nesta matéria, o jornalista Marcel Cordella, expõe que neste Bairro de Santos, os moradores e comerciantes, cansados da ação dos marginais, pagam para manter seguranças, e agora pasmem: essas milícias, na maior parte dos casos, são formadas por policiais militares em período de folga!

Pergunto: até quando nos veremos reféns desta insegurança pública que atinge nosso país? Será que, quem está no poder, não percebe as verdadeiras causas deste assolador problema? Toda a vez que vejo algum político tratar do tema da segurança pública, sempre bate na mesma tecla: aumento de pena. Em minha modesta opinião, isto, por si só, não resolve nada. Pode ajudar, mas não resolve a questão definitivamente.

Só teremos segurança quando forem resolvidos, ou minimizadas, as desigualdades sociais. Só teremos segurança quando o país voltar a crescer, de modo que o jovem, consiga um trabalho honesto.

Só teremos segurança quando os governos resolverem investir em educação.

Estamos sendo obrigados a nos enclausurar em nossos lares, pois somos reféns de bandidos, fardados ou não.

O povo, ao invés de se render à ação desses grupos, deveria cobrar uma ação efetiva do governo para resolver a falta de segurança no local onde mora: Protesto, Faixas, Cartazes, Requerer Audiências Públicas, representar ao Ministério Público. Enfim, deveria tomar uma atitude que fizesse barulho na mídia. Sempre digo que protesto, passeata e apitaço acabam resolvendo alguma coisa, desde que sejam apoiados pela mídia.

Só não podemos compactuar com o povo abrindo mão de seu direito constitucional à segurança pública. Uma segurança efetiva, real, e não ilusória, como a que temos hoje.

Na referida reportagem, um líder comunitário, resume o problema: “Não mudou nada em relação ao comerciante. Ele está sendo extorquido da mesma forma. A bandidagem extorque de uma forma e a polícia, de outra. É uma milícia e está vendendo segurança. O bandido te tira a segurança. Esse paramilitar te vende segurança. Dá na mesma”.

Até quando teremos que ler notícias tristes como essa, e muitas outras, algumas vezes piores?

Até quando o povo ficará impassível, apenas observando o governo afrontar as leis e a Constituição?


Até quando?

***
Texto de minha autoria publicado no Blog do Movimento Evolução

28 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Defensor, nada mais que um oportunismo da policia carioca. Uma baita sacanagem com quem paga impostos para ser protegido. E que não tem educação nem saúde . Só matando.

Clarissa disse...

Amigo... esta notícia não só é chocante como acima de tudo preocupante. Pelo que eu percebi são uma espécie de empresas privadas de segurança? Seja como for a questão coloca-se em termos de trocar um «dono» por outro, mas mais, alguém encontrou uma forma legal de extorquir dinheiro aos cidadãos já por si desfavorecidos. Que os ricos paguem a seguranças privados... podem fazê-lo...que o estado permita este novo jugo aos cidadãos é um ultraje. Troca-se a situação de ilegalidade dos traficantes, por uma «legal» (?!)... em que quem continua a ser lixado é o cidadão,agora da pior forma pois tem a conivência da situação protegida por lei!!!!
Claro, os polícias fazem umas horinhas nas suas folgas...
Fez-me lembrar a situação que aqui vivemos... por causa da despenalização do aborto, já veio o aviso da ordem dos médicos, se o SIM vencer, e os médicos no sistema público de saúde forem objectores de consciência, serão expulsos da prática da medicina caso o pratiquem no privado. Esperemos que seja mesmo assim.
Os desfavorecidos estão cada vez mais desfavorecidos, os ricos cada vez mais ricos... criamos ghetos sem condições e depois queixamo-nos da marginalidade e dos «arrastões» nas praias... corta-se o orçamento na educação e fazem-se rankings das melhores escolas, prepara-se a autonomia das escolas onde os alunos e os professores serão escolhidos... democratização do ensino?... da cultura?... da educação?...É tudo uma mentira que nos atiram à cara em hora de eleições!!!

Beijocas Defensor.

Cejunior disse...

Defensor, grato pela visita e pelas palavras.
Segurança é um direito constitucional. E o que temos visto no Brasil, por parte de todos os poderes, frise-se, é um total pouco caso com a situação.
A situação aqui no Rio chegou ao nível de barbárie. Primeiro com o incêndio no ônibus da Itapemirim e agora com a morte da criança de 6 anos.
E entre esses dois fatos marcantes, milhares de atentados diários à vida de seus moradores.
O poço não tem fundo, Defensor!

africana disse...

Caro defensor..concordo plenamente quando diz que só teremos segurança quando forem resolvidas as desigualdades sociais,pois se todos tivessemos dinheiro suficiente para viver "talvez" o mundo fosse melhor, mas do que conhecemos da mente humana,que pretende sempre mais e mais e perante o aumento drástico da população, o aumento dos interesses económicos leva ao aumento da corrupção, que é o que norteia o mundo nos nossos dias,a fobia pelo ganho do dinheiro de forma fácil, mesmo que para isso implique matar,onde se perdeu o respeito pela vida humana, onde se mata como quem bebe um copo de água...não sei se não teríamos que fazer do mundo tábua rasa para que essa afirmação funcionasse"..só teremos segurança quando o país voltar a crescer.." Realmente investimos em tanta coisa e não investimos na mudança das mentalidades..

....:::: Anonima ::::.... disse...

Até quando?
é uma boa perguta...
e merece uma boa resposta...
Adoraria te responder dizendo que tudo isso não passa de um pesadelo...
Tenha fé!
Tudo de bom pra vc...
Abraços

Defensor disse...

Rayol: sabes que muito te admiro. Compactuo com quase tudo o que escreves, excetuando-se a questão da pena de morte.

Respeito tua opinião, mas creio que no país em que vivemos, a pena de morte não funcionaria.

Explico: o Poder Judiciário não tem condições de aplicar uma sentença extreme de dúvidas, como exige nosso ordenamento jurídico-constitucional. Os processos são mal ordenados, e muitas vezes as pessoas são condenadas apenas com base em provas relativas, baseadas principalmente no Inquérito Policial. A prova, muitas vezes é dúbia, e mesmo assim, pode haver condenação, em que pese o princípio, também constitucional, do "in dubio pro reo". Tudo isso, sem mencionar a incapacidade de alguns membros da magistratura e do Ministério Público, despreparados ou inexperientes.

Tívessemos aqui no Brasil um sistema de investigação policial nos moldes do que há nos EUA, talvez eu pudesse concordar com a pena de morte, mas não é o caso.

Ademais, um Estado que se propõe a garantir (Constituição de novo!, art. 5°) o direito à vida de seus cidadãos (em que pese não o fazê-lo) não pode retirar a vida, pois se igualaria ao criminoso.

Sei que todos esses argumentos aos defensores da pena de morte não bastam. Sempre existirão os que a defendem e os que a condenam.

Outro argumento em desfavor da pena de morte, é o próprio espírito de nossa Lei Maior: um dos incisos do art. 5° da Carta diz que não haverá pena de morte, salvo em caso de guerra.

Ocorre que por força do art. 60, § 3°, inciso IV, também da CF, os direitos e garantias individuais previstos no art. 5° são considerados cláusulas pétreas. Vale dizer: não é sequer admitida proposta de Emenda constitucional tendente a abolí-los.

Para haver pena de morte no Brasil, só com a promulgação de uma nova Constituição.

Como sempre defendo a Constituição, pois acho que é uma das mais avançadas do mundo, não poderia deixar de externar minha modesta opinião.

Abraços, grande amigo.

Defensor disse...

Clarissa: realmente a notícia é chocante (talvez não tanto como o caso do menino arrastado por 6 KM pelo carro que foi roubado por assaltantes no Rio de Janeiro, mas o que mais choca, é que quem faz a segurança e cobra pelo serviço, pelo menos aqui em Santos, segundo a matéria do jornal, são os próprios policiais. Pode não ser proibido por lei que policiais façam segurança privada, mas me pergunto: É ético?

O cidadão, na verdade, não tem que pagar por segurança. Como disse o Cejunior aí em cima, a segurança é dever, obrigação do Estado. Ponto!

Cabe ao povo - sempre defenderei este ponto de vista - protestar, reivindicar, reclamar, requerer seus direitos!

Defensor disse...

Cejunior: têns toda a razão, meu grande amigo!

Barbárie é a palavra, não só no Rio, uma bela cidade, mas noi Brasil inteiro!!!

Abraços, e quando lançares teu livro me avise!!!

Defensor disse...

Africana (será que és uma africana da Africa do Sul, pois caucasiana desta maneira, só pode ser... he he!). Com razão teu coment, as desigualdades sociais são o maior fator para o aumento da criminalidade.

Veja: aqui em nosso país temos um governo federal que se diz popular, socialista. É risível tal governo, como o de seus antecessores.

Não gosto de rótulos: "socialista, direita, centro". Isto tudo está superado. O que importa, seja qual governo for, é que se importe com o bem estar coletivo.

Isso (apesar do partido do Governo ter a denominação de Partido dos Trabalhadores) não está acontecendo. Nosso presidente é uma marionete na mãos de seus companheiros. Não conseguiu implementar um plano decente de governo, desde que assumiu. ele, como presidente, é CATÁSTRÓFICO!!!

Poderia citar exemplos de seu desatroso governo, mas por amor a brevidade não o farei. Podemos ver isso nas manchetes inclusives de jornais do exterior.

Não é só o Executivo que engana o povo, o Legislativo fede... talvez muito mais!

Defensor disse...

Anônima: vou dizer. Começo a concordar com o Klatuu, o embuçado, ilustre e grande amigo português, do Crônicas da Peste.

A palavra é REVOLUÇÃO. O povo brasileiro é pacato demais! Não digo uma revolução com armas, mas uma revolução de pensamentos.

Enquanto o povo pensar que pode ser açoitado em seus direitos, tudo permanecerá igual.

Enquanto não houver protestos populares em massa nas ruas, o governo continuará a, descarademante, tratar o povo como gado...

Defensor disse...

... estão vendo?!!?

É por isso que estou evitando de falar de política por aqui....

Minha pressão sobe... começo a querer esganar alguém, principalmente se me fala que ogoverno do PT é bom!

Ai, ai, ai... pena eu não ser burro, não sofria tanto!

Ademais, é melhor ouvir que o governo do PT é bom do que ser surdo... ou será que não???!!!

........

Defensor disse...

...aproveito e remeto meus leitores ao Jorge So Besta para ler uma matéria excelente!!!
http://jorgesobesta.blogspot.com/
cujo título é:
"Flashback: Ministro da Propaganda Nazista trabalha para PT"
Simplesmente imperdível!

Renata disse...

Olá! Ótimo texto, infelizmente muito verdadeiro. Eu também acho, somente com Educação e com a diminuição da desigualdade social poderemos ver uma luz no fim do túnel. Coheço muita getne que se mudou para cidades do interior por causa da violência... mas demora pouco chega lá também...
Bjos e bom fds!

ROÇA COISA É OUTRA LIMPA disse...

São mais bandidos que os próprios bandidos.Isso é extorsão.
Essa de melhor salário é conversa mole, quando o jovem procura essa carreira sabe muito bem qual será seu salário e acha um bom salário.Se o salário é pouco, faça como qualquer outro empregado e peça as contas, vá procurar algo que lhe de melhor salário.E outra, a seleção desses indivíduos deveria ser bem mais rigorosa do que é hoje, principalmente o psicológico deles deveria ser muito bem avaliado.
Não gosta de ser policial, ganha pouco , sai.
Bem faz vc defensor que evita falar de política e governo, sobe a pressão, dá muito estresse.
Um abraço!

Sujeito Oculto disse...

Não vai ser com o Viva Rio mandando a classe média hastear bandeira branca na rua que isso vai se resolver. O que as milícias fazem é exatamente o mesmo mecanismo da máfia: cobrar por proteção contra elas mesmas. Não é novidade e é bastante eficiente.

Mas, como se viu, é possível expulsar o tráfico das favelas e a lição que se pode retirar disso tudo é que alguma coisa na estratégia das milícias funciona. Agora é necessário fazê-la dentro da lei e sem achacar os moradores das favelas.

Jorge Sobesta disse...

Defensor,

Obrigado pela propaganda, hehe.
Quanto a essa questão das milícias, seria ótimo se liquidassem os bandidos, mesmo cobrando um extra. Afinal os mercenários não são super-herois que vivem de heranças milionárias como Batman e também não são mocinhos bonzinhos. Poder é o que eles querem.
Mas quando ouço falar em matar bandidos ou políticos (que são a mesma coisa) não deixo de ser a favor.
É estranho, pois não tinha esse tipo de sentimento violento. Mas é como você colocou em seu post: Os presos somos nós.

Um grande abraço.

Ricardo Safra disse...

Caro Defensor

A situação é realmente preocupante porque perpassa não só por uma crise institucional, mas também por uma crise moral. Alguns valores humanos precisam ser redescobertos - quiçá refundados - para que a sociedade possa sonhar com dias melhores.

Um abraço,
Ricardo Safra, estudante de Geografia

Suzy Tude disse...

Defensor, estamos no país das inseguranças: Insegurança Pública, Insegurança Jurídica, ..... e pode continuar completanto que a lista é interminável.

Grande abraço

Escorpiana Explosiva disse...

Amigo a justiça é tão porca que no final das contas nós seres humanos nem sabemos mais com quem contar.
Muitas vezes eu considero os policias com um criminoso,do que os ladrões porque os ladrões nem vem de cobra nada para cuidar do seu bairro agoro esses policiais acham que só por que são da lei tem que receber algo em troca,isso é um absurdo.





Obrigado pela visita.

Mestre Splinter disse...

Já comentei este texto lá no Evolução, eu vi lá primeiro! E concordo aqui com o Roça como concordei lá, mas agora n'outro ponto: o preparo desses brigadianos é mesmo uma coisa...os caras gostam mesmo de se impor, de dar uma de ''dotôr ôtoridade''...muitas vezes penso que os pré-requisitos p'ra se fazer parte da brigada são ser autoritário,preponderante, prevalecido e escroto. Bueno, na verdade acho que os malucos que procuram essa profissão já o fazem por terem um perfil assim, amoral...Muitos , se sabe, querem ter apenas a farda como garantia p'ra poder fazer o que quiser, sem que a lei o alcance: ele é a lei.

Conheci um sujeito que contava, depois de algumas geladas, como se ''divertiam'' depois do expediente fazendo caçadas humanas com alguém que prendessem e que não ''faria falta''(parece que UMA vez, ele deixou o cara ir, essa história ele sempre repetia)! Parece coisa de filme, mas não é!!!

São esses caras que deveriam nos proteger, e agora ainda cobram!...Alguns dirão: bandido bom é bandido morto, e coisa e tal. Mas qüal o critério? Olhando nos olhos desse sujeito de quem falei, aprendi que sobra bem pouco discernimento dentro da gente depois de atravessarmos certos limites...



(Não sejamos tão injustos: moro no interior, e a maioria dos PM's daqui são uns bundões que não fazem NADA...este sujeito foi uma excessão bizarra, transferido durante um verão direto do Morro da Cruz de Porto Alegre p'ro nosso pequeno paraíso de incompetência...conhecendo a ele, e ao seu irmão, começávamos à compreender que espécie de feras as metrópoles realmente criavam...)

Saramar disse...

Defensor, concordo com você. O que estamos precisando é de governantes que governem e privilegiem as questões sociais como um todo: educação, saúde, emprego, transporte, etc.
Sei que isso parece conversa de esquerdista tentando justificar a inércia das autoridades.
Porém, é a realidade. E bastaria um pouco de sensibilidade e alguns recursos bem aplicados para mudar a realidade deste país.
Pena que o povo não sabe escolher seus representantes, indo sempre na lábia de aventureiros.

beijos e bom domingo.

Alucinógena disse...

Foi assim que a máfia italiana começou. O modelo já tinha sido importado por outros países há muito tempo. Só agora que vem se mostrando com mais clareza no Brasil.

É uma lástima. Essas coisas vão além da criminalidade por causas sociais. Ela pode até ser a grande mãe, só que agora já estamos na 4ª geração dela. Hoje em dia, ela deixou de ser a causa primeira, há uma infinidade de fatores atuando na realidade violenta de hoje.

Pelo menos, essa é a minha forma de ver.

Lana disse...

Olá Defensor
não quero sumir mais não, até porque gosto muito do que escreves e partilho muitas ideias contigo.
aqui e portugal tb temos prblemas desses mas em muito menor grau. o clima ai é horrivel de facto ... dar a sensação a alguém que lhes estamos a melhorar a qualidade de vida criando outro monstro que o engole é a imagem que me veio á ideia daquilo que escreveste .
1 sorriso luminoso e força não desistas nunca de partilhar que nós te ajudamos a levar a vida de uma forma melhor ( acho eu)
1 bjinho

david santos disse...

Olá!
O defensor, isto aqui não está nada bom, mas aí! Aqui tudo que seja "justiça" é corrupto, mas pelos vistos aí não é melhor.
Parabéns,

Conceição Bernardino disse...

Olá,
A perfeição é uma forma imperfeita que se apodera
De tudo o quanto é belo
ConceiçãoB
Uma boa semana
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Bruxinhachellot disse...

Concordo que a única forma de combater a violência é reduzir as desigualdades sociais, já que liquidá-las tem sido algo improvável e irrealizável.
A verdade é que não existe segurança no Rio de Janeiro, basta ver o acharcamento das blitz nas estradas, a corrupção da polícia e dos políticos, as barbáries contra crianças e adolescentes e a negligência da sociedade para com seus cidadãos.
Até quando? Talvez até o fim, já que vivemos dessa forma há séculos.

Beijos de luz.

Lia disse...

Não há interesse nem vontade política em reduzir a insegurança e a melhorar as condições dos cidadãos. Por isso tudo continuará assim...

Beijinhos

Anônimo disse...

É TRISTE DIZER. NOSSOS POLITICOS NÃO SE INTERRESSAM PELO BRASIL.