quinta-feira, setembro 21, 2006

111 mentiras
Image Hosted by ImageShack.us

Tenho, para mim, que o assassinato do coronel Ubiratan ficará impune, graças à incompetência da polícia e à forma equivocada como foram, desde o início, conduzidas as investigações.
Ainda que seja indiciada, a única suspeita até o presente momento, a namorada do parlamentar, Carla Cepollina, provavelmente responderá ao processo crime em liberdade e, nesta parte tenho certeza absoluta: quando, e se for julgada pelo Tribunal Popular, será absolvida.

É que já passado tanto tempo desde o crime e sem indiciá-la, a polícia mostra-se insegura. Nem se cogite o fato das autoridades quererem ter certeza de todos os fatos para apontá-la como suspeita. Em casos de repercussão como este, as investigações costumam ser realizadas com muito mais diligência e persistência do que o habitual, e mesmo assim como disse antes, foram mal conduzidas. Segundo consta, no dia em que o corpo foi encontrado, os peritos realizaram o trabalho no apartamento do coronel, que àquela altura estava abarrotado de gente (20 pessoas, dizem), quando o correto seria permanecerem no local apenas os técnicos.

Por outro lado, as provas colhidas até agora, e divulgadas pela imprensa revelam-se frágeis e inseguras a embasar uma condenação, principalmente quando os fatos são julgados pelo Júri, tribunal composto por leigos, no qual um bom advogado às vezes consegue realizar milagres (lembram-se da Suzane?. Por mais um voto teria sido inocentada). Ressalte-se também o fato de Ubiratan não ser exatamente uma pessoa bem quista por muitas pessoas.

Isso tudo é porque estamos diante de um crime que envolve uma pessoa de vida pública. Agora imaginem quando se trata de uma investigação “normal”, daquelas que não chamam a atenção da imprensa, na qual a vítimas e os suspeitos são “zes ninguéns”... o que ocorre é um verdadeiro descalabro, e muitas vezes pessoas inocentes são consideradas culpadas em virtude dessa incompetência policial na “elucidação” do crime.

Depois falam de instituir a pena de morte no Brasil!


2 comentários:

tina oiticica disse...

Não pense que a justiça alhures é melhor. Meu filho levou trote e o deixaram no meioda rua a uma hora da manhã, numa rua erma e o diretor não fez nada e ainda se fez de besta. Se eu não tivesse sido pentelha e não conhecesse a lei, os moleques estariam no bem-bom até agora junto com as marafonas suas mães.

Defensor, O Maldito disse...

Pois é Tina... isso é porque você live in USA e sabe muito bem o que está falando... Se aí com todos os recursos, tanto humanos como financeiros existem enganos, imagine aqui!