segunda-feira, novembro 27, 2006

ESCRAVOS DE UM MUNDO PERVERSO
O homem nasce livre e em toda a parte se encontra acorrentado
Rousseau
Image Hosted by ImageShack.us
Somos escravos de um mundo perverso
Escravos de nossos medos, de nossas angústias
Escravos das leis, dos governantes, do labor
Servimos com submissão secular há gerações
Servimos àqueles que exigem nosso suor, nosso sangue
Aos que retiram nossa vontade de lutar
Aos que extirpam lentamente nossa vida
Em nome da escravidão de ser livre
Somos escravos de um mundo desprezível
Escravos de nossas vontades, de nossas paixões
Escravos dos vícios, das virtudes
Grilhões nos cercam por todos os lados
Correntes nos prendem aos desígnios do destino
Destino cruel e escravista
Somos escravos de um mundo imaginário
Escravos de deuses cruéis e impiedosos
Escravos de seus ritos, de seus dogmas
Servimos à luz, servimos às trevas,
Servimos ao bem e ao mal, ao amor e ao ódio
Somos escravos da vida, escravos da morte
Somos escravos até mesmo da esperança
Essa senhora tola que insiste em nos iludir
Com desejos de não sermos mais escravos

24 comentários:

Defensor, O Maldito disse...

Saudações Ilustres comentadores!
Aproveitei o post anterior, e discorri sobre a escravidão humana... E você concorda que todos nós somos escravos de algo? Ou não? Será que podemos viver nesse mundo independentemente de nossos desejos, paixões, ou qualquer outro sentimento que guie nossos atos? Deixe sua marca, comente!
Abraços

Anônimo disse...

Mais uma vez concordo com tudo o que disseste. A liberdade total é uma ilusão, uma utopia. Somos seres sociais, logo precisamos de pontos de referências, e as nossas relações com os outros obrigaram-nos a criar amarras... Não podemos fugir a isso. Alguns têm a liberdade de fazer escolhas, mas nem todos.
Carregamos o peso da história, da cultura, da educação...

Beijo grande.

Klatuu o embuçado disse...

A maior escravidão... é a emoção... é das nossas emoções que somos escravos, antes de qualquer outra escravatura. Há um só caminho para o espírito: caminhar da natureza para a civilização. Mas essa é a mais angustiante das travessias... porque nos faz deixar a espontaneidade, a fúria e o riso para trás.
Há uma só liberdade possível: a Razão, mas uma razão que pactua com a terra - ou seja, que estabelece um equilíbrio entre espírito e natureza - este pacto é uma Dança, como o afirmou Nietzsche.

Saudações e abraço.

Ester Beatriz disse...

Passei pra agradecer sua visita e os comentários....espero que volte sempre!!
Quanto aos textos e versos postados, aqui são de sua autoria?
Tem coisas lindas aqui...são um incentivo à reflexão...
Parabéns!

Rita Contreiras disse...

Seremos livres quando nos desapegarmos das necessidades que criamos para sermos felizes. Ser é algo tão simples que não acreditamos e ficamos pela vida a criar adornos que nada mais são que ilusões.Um grande abraço.

Göttlicher Teufel disse...

luta-se para deixar de ser escravo

Copynar disse...

Adicionado como parceiro, muito boa sua pagina.
Pelo que vi vc tem uma pagina em estilo
cultura com mais textos assuntos refinados de alto nivel, muito bom.
Bom inicio de semana.

Mestre Splinter disse...

...e tolo seria aquele que se julga dono dos próprios passos, então? Alguma sugestão p'rá escapar ao círculo, Lord Defender? Hehehe...
...Mas concordo com a Rita, qüando ela fala das ''necessidades'' que nos impomos p'rá alcançar a tal felicidade: todos costumam almejar um futuro onde terão sua casa, seu carro, sua mulher e filhos(ou qüalquer outra coisa que se deseje...), qüando então serão finalmente felizes...Mas porque poucos são os que tentam serem felizes AGORA, p'rá depois irem atrás dessas coisas todas?
Grande Defensor, com mais uma explanação irretocável, fazendo a gente pensar outra vez...teu dedo certeiro na ferida...
Um Abraço!

Paulo Sempre disse...

Talvés eu morra na rua, onde a morte é natural;
Talvés eu morra na praia, no meio das espuma do mar,
Tavés eu morra numa prisão, no meio de escravos subservientes,
Com as mãos em cruz sobre o peito..., que eu morra em Portugal..

Kafé Roceiro disse...

Amigo que não tem nada de maldito. Venho dizer-lhe que a última frase diz tudo. Até da esperança somos escravos, quanto mais dos outros sentimentos como o amor, principalmente!
Forte abraço...
Kafé.

Alcinéa Cavalcante disse...

E ainda tem os políticos tentando nos escravizar.
Muito bom teu blog.
Abraços

Ricardo Rayol disse...

Escravos fomos, escravos somos, escravos morreremos. Muito bem dito.

Desculpe o pitaco, continuo não gostando da imagem simbolo do template... parece a Kaos.

Blogildo disse...

Escravos todos somos, liberdade é poder escolher o dono(a).

Kafé Roceiro disse...

Oh Mardito Bendito! Cabra bão. Linkei ocê lá na roça. Inté! Abraços.

Anônimo disse...

O interessante é quando rompemos com nossas amarras sociais, a própria sociedade trata de tentar nos acorrentar novamente.

Que circulo vicioso, não?

Bela disse...

Somos escravos sim...principalmente devido á sociedade em que vivemos...Mas quando cerro os olhos e sonho, sou livre.Completamente.

Gostei do teu blog...dos tópicos.
Um sorriso e um abraço.

Anônimo disse...

Sabe aquela velha frase "Se você não vive para servir, não serve para viver"? De acordo com ela se não formos servidores, escravos seja dos outros ou de nós mesmos, então a vida não tem nenhum valor. Não seríamos nada se não fôssemos serviçais de algo ou alguém?
Ninguém pode dizer que a escravidão acabou se trabalha mais do que o necessário, se se presta a fazer de tudo para realizar seus desejos mais profundos.
Belo post.

Beijos suaves de algodão.

Paulo Sempre disse...

Obrigado pelo comentário lá no meu "filhosdeumdeusmenor".
Abraço
Paulo
Portugal

Sombras disse...

Ainda que sejamos seres livres e possamos optar por quase tudo ou por coisa alguma, de facto, somos sempre escravos de algo... Beijinhos

Klatuu o embuçado disse...

Defensor, O Maldito... vale a pena lê-lo... mas também apreciar a obra plástica.

Saudações!
http://www.perve.org.pt/

Mestre Splinter disse...

Aí, esse Lobo agora matou à pau! (Uma coisa que parei de tentar entender é a fixação que eu tenho por esse bicho, vai saber...)
Essa fonte também é bacana, e olha que eu não sou muito de ligar p'rá visual...

tina oiticica disse...

Saudações, Defensor:

Agora que trabalho por conta própria sinto-me bem mais livre que antes. Além disso, pouco vou à rua; logo, controlo meu ambiente. A pior escravidão é o medo.

Blogue da Magui disse...

Pensa uma coisa ...Existe. Tudo é possível.O manicômio está cheio, as cadeias também.

cassi disse...

Acredito sim que somos sempre escravos de alguma coisa, mas a maior das escravidões, a senzala do XXI é a ignorancia.Abraços, adoro ler o que voçe escreve.