quinta-feira, outubro 05, 2006

A EDUCAÇÃO DE CRASSO
Image Hosted by ImageShack.us

O texto a seguir, atribuído a J. R. Torero (apesar de ter pesquisado, não pude confirmar a fonte) foi retirado do site www.bethynha.com.br, e resolvi postá-lo para demonstrar que desde a antiguidade até hoje o modo de fazer política é o mesmo. As lições são as mesmas...

"Alipio Crasso foi governador da Beócia durante o reinado de Trajano. De sua grande popularidade ficaram registros em cartas de Plinio, o Novo, e desenho em azulejos com a inscrição : "Crasso nos governa, somos felizes".

Recentes escavações no Estreito de Bósforo resgataram um baú com estatuetas do jovem Crasso sendo educado por seu pai, Lupilio. Sabe-se que eram vendidas e o povo as estimava, colocando-as ao lado das figuras dos deuses nos santuários caseiros.

As estatuetas fizeram renascer a discussão acerca do papel de Lupilio na educação do seu adoradissimo filho. Educação não apenas guerreira ou moral, mas principalmente política. Com isso, foi revalorizado um texto que vinha saciando apenas os cupins. Falo dos "Apontamentos para a Política e Governo dos Homens", escrito por Lupilio durante o cerco dos Quados.

Trata-se de um texto muito valioso, e diz a tradição que Crasso o seguiu à risca nos seus quarenta e seis anos à frente dos negócios beócios, em que, segundo o poeta Euriano, "O sol não abrasava/ O vento não destruía/ A chuva não castigava/ Assim era cada dia".

Vale a pena rever essa lição de sabedoria política que deve estar na gaveta de muito político moderno :

"Meu filho, quando nasceste e vi teu olhar pálido e idiota pendurado no centro da enorme e desproporcional cabeça, não pude dar-te outro nome que não o de Crasso. Porém, convencido de que a pedagogia corrige a natureza, desde cedo preparei-te para a profissão em que os imbecís são honrados : a política.

Agora que Ernulfo está à morte e fostes escolhido governador, medita uma vez mais nessas lições. Garanto que serás amado por uns, temido por outros e respeitado por todos :

1) Faze obras grandes e vistosas sem te perguntar pela utilidade delas. Esquece os esgotos, lembra-te das pontes. Um mísero arco na rua do estádio vale mais que a porção de trigo de cem camponeses famintos.

2) Sai às ruas, discute com o vendedor de pães, ralha com os cobradores de impostos. Lembra-te que eles são odiados e é bom que pareças ser inimigo deles.

3) Rebatiza tudo e assim pensarão que tudo é obra tua. Não ergueu Ernulfo as Termas do Monte ? Pois bem, manda fazer ali duas estátuas e põe dois soldados à porta; depois muda-lhe o nome para Termas da Lua ou Termas de Trajano. Em dois anos todos pensarão que tu mesmo os fizestes. Em três, estarão chamando-as de Termas de Crasso.

4) Apega-te a coisas mesquinhas. Se pensares nas guerras, nas estradas e nos granários, em que serás diferente dos outros que vieram antes de ti ? Legisla sobre as túnicas dos moços, discute a ferradura ideal para os cavalos, faze leis sobre o consumo de fumo, proibe as mulheres de beberem mais de dois copos de vinho nas saturnais. Um pai pensa nos estudos do seu filho, mas também preocupa-se com a queda de sua franja.

5) Vai aos jogos, ordena trombetas à tua entrada e à tua saída, chega sempre um quarto de hora depois do horário aprazado

6) Ernulfo vai às guerras e regressa de boa saúde. Nunca cometas semelhante estupidez. Volta com um ferimento e, por pequeno que seja, exibe-o no mercado.

7) Aprende a retórica e esmera-te na arte de nada dizer.

8) Sempre que encontrares um pedinte, tortura-o com a descrição das tuas infelicidades. Faze-o crer que tens inveja da liberdade que os deuses graciosamente lhe deram. Convence-o de que a vida no palácio é toda cheia de crimes, aleivosias e conspirações. Os pobres gostam de pensar que são mais felizes do que os ricos e assim se sentirem superiores a eles. Com um punhado de lágrimas ganharás não só a sua simpatia, mas também a sua compaixão.

9) Calçaste uma rua ? Toca tambores e chama o circo. Nunca inaugures nada em silêncio e modéstia.

10) Segue os usos e costumes de Roma, manda trazer os vasos do último gosto, faze crer a todos que és refinado e conheces as maneiras da mesa de Trajano. Dize sempre : "Em Roma se faz assim", ou "Essa é a maneira como eles fazem isto". Assim os que te ouvirem pensarão que tens amizades com os patricios.

OBS= A Beócia não melhorou muito no governo de Crasso, mas os beócios o adoravam"

PS= qualquer semelhança com nossos políticos não é mera coincidência... E aproveitando o ensejo, parabéns aos quase seis milhões (5.957.207) que me acompanharam e votaram nulo. Ainda conseguiremos nosso intento, não desistam!


Um comentário:

tina oiticica disse...

Postei tries artigos diferentes sobre política. Chega lá. E tem um raio de um photocast que não tá funcionado.

A moral da história é que o Crasso era um crasso.